Saneago participa de reunião pública sobre Plano de Ação de Segurança de Barragens, em Goiás

Evento reuniu representantes do setor de mineração, comitês de bacias e entidades ligadas ao meio ambiente, para darem contribuições à elaboração do PASB

Por Assessoria de Comunicação da Saneago

A Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago) esteve presente na reunião pública promovida pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Secima) para discutir o Plano de Ação para o Controle de Segurança de Barragens. Na ocasião, a secretária estadual de Meio Ambiente, Andrea Vulcanes, apresentou os números iniciais de barragens em Goiás, levantados por meio de imagens de satélites. Ao todo, há cerca de 9 mil barramentos no estado, com portes e usos diversos, sendo que somente 1.300 destes possuem outorga. A ausência de um cadastro dessas barragens, seja para reservação de água ou resíduos industriais, prejudica as ações dos órgãos de controle e fiscalização, que não possuem informação alguma sobre as condições e os riscos dos demais barramentos.

A secretária propõs a criação de um cadastro, para que as barragens sem outorga possam ser classificadas de acordo com seu risco e pelo seu potencial de danos. Os proprietários desses barramentos, grande maioria de pequeno porte, firmarão um termo de compromisso para garantir a sua regularização.

A reunião desta quarta-feira contou com a presença de representantes do setor de mineração, comitês de bacias hidrográficas do estado e entidades ligadas ao meio ambiente, para darem contribuições à elaboração do PASB. No entanto, o foco maior das discussões foram as barragens de resíduo mineral. Empresas do setor apresentaram as fichas técnicas desses barramentos e falaram sobre a gestão de segurança nos empreendimentos. Setores de irrigação também falaram sobre os barramentos voltados para a agricultura no estado.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) ressaltou a importância da capacitação dos profissionais que fazem as vistorias para conceder licenças ambientais e outorgas e a fiscalização desses barramentos. “A falta de conhecimento técnico significa falta de segurança para a população”, afirmou o conselheiro Ricardo Ferreira. O Crea vai fornecer treinamentos para os profissionais habilitados para estas funções, segundo o engenheiro.

A Saneago possui apenas um barramento representativo voltado para a reservação de água, que é a barragem do Ribeirão João Leite, em Goiânia. “Toda a documentação solicitada pela Secima para sua contribuição ao Plano de Ação está sendo preparada pelas equipes técnicas da Companhia e deve ser entregue ao órgão nesta quinta-feira (07)”, disse o Diretor de Produção da Saneago, Edson Filizzola.

A gerente de produção da Saneago, Lúcia Helena Santos Pinheiro, ressaltou durante a reunião que a barragem do Ribeirão João Leite foi muito bem projetada e executada, e está sendo operada dentro da boa técnica. “Temos 250 instrumentos para monitorar a segurança da barragem, com periodicidade de leituras diárias, semanais e mensais. Mesmo não havendo legislação e modelos estaduais sobre o tema, a Saneago buscou a conformidade dentro dos modelos da Agência Nacional de Águas”, afirmou.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account