Sabesp inaugura nova captação de água do rio Jundiaí, em Várzea Paulista

Nesta sexta-feira, 24/3, encerrando as celebrações da semana da água, a Sabesp, em parceria com a Prefeitura de Várzea Paulista, inaugurou a nova estação de captação de água do rio Jundiaí. A ação se tornou possível graças à melhoria da qualidade das águas do rio Jundiaí, sobretudo em Várzea Paulista. Não há, em todo o país, registro de uma bacia hidrográfica altamente adensada e pujante como a bacia do rio Jundiaí, que tenha sido despoluída.
Com outorga para 100 litros de água por segundo, a captação enviará a água para a Estação de Tratamento Palmeiras, onde passará por todo o processo de adequação e análise que integram os rígidos padrões de qualidade da Sabesp, para então ser distribuída à mais de 117 mil habitantes.
“O rio Jundiaí é um símbolo do que queremos fazer no país. Essa cerimônia é simples, mas ela é muito simbólica porque mostra que é possível cumprir o ciclo do saneamento” comentou Jerson Kelman, Presidente da Sabesp, durante o evento de inauguração na cidade.
O prefeito Juvenal Rossi agradece os esforços de todos para os resultados. Para ele “o rio é o maior termômetro do trabalho da Sabesp aqui e do quanto a cidade evoluiu”, ressaltou.
Desde 2012 a Sabesp inaugurou duas estações de tratamento de esgotos que foram fundamentais para a recuperação do rio. Em Itupeva, a construção do sistema de esgotamento sanitário começou em 2009 com a construção da estação de esgoto e da estação elevatória de esgotos. Todo o sistema capaz de coletar e tratar os esgotos entrou em plena operação em julho de 2012 e, com isso, o índice de tratamento dos esgotos coletados passou de 13% para 96%.
“A questão de tratamento de esgoto é um missão que ainda temos que cumprir no estado de São Paulo e avançamos rumo à universalização nas 321 cidades que atendemos no Interior”, destacou Luiz Paulo de Almeida Neto, Diretor de Sistemas Regionais da Sabesp.
A outra obra fundamental que contribuiu para a despoluição do corpo hídrico foi o sistema integrado de esgotamento sanitário (SIES) de Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista, em 2013. A estrutura, entre as mais modernas do interior, contemplou a construção de cinco estações elevatórias de esgotos nos dois municípios, uma estação de tratamento de esgotos e 38 quilômetros de redes capazes de transportar o esgoto coletado para o tratamento. A estação tem capacidade para tratar 560 litros de esgotos por segundo e permitiu que Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista atingissem 90% e 96% de tratamento de esgotos, respectivamente.
Todas as intervenções realizadas contribuíram diretamente com o desenvolvimento das cidades de Campo Limpo Paulista, Itupeva, Várzea Paulista e dos municípios vizinhos. São mais de 220 mil pessoas beneficiadas com a despoluição do rio Jundiaí e, consequentemente, do rio Tietê. A melhoria das águas foi reconhecida, inclusive, com a ampliação do reenquadramento do rio de classe 4 para classe 3, que agora abrange o trecho entre o córrego Pinheirinho, em Várzea Paulista, e sua foz no rio Tietê, em Salto, totalizando mais de 60 km de extensão. A mudança foi aprovada por unanimidade pelo Comitê das Bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Comitê PCJ) no último dia 16 de dezembro e aguarda apenas a ratificação do Conselho Estadual de Recursos Hídricos.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Sabesp

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account