Maquete de Estação de Tratamento de Água da Caema encanta visitantes da 11.ª FeliS

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) atraiu grande parte dos visitantes que passearam pelas instalações da 11ª Feira do Livro de São Luís – FeliS, evento cultural que aconteceu na capital de 10 a 19 de novembro sob a coordenação e organização da Prefeitura de São Luís (MA). O stand montado pela Companhia foi bastante visitado e apresentou ao público, por meio de explicação de técnicos, os passos e medidas tomadas durante o processo para tratamento de água utilizando o apoio de uma maquete de ETA – Estação de Tratamento de Água, réplica da que está sediada na Cidade de Pinheiro, destinada a atender com água pronta para consumo uma população de mais de 81 mil pessoas naquele município.

A maquete exposta foi construída há alguns anos por dois funcionários da própria Companhia, são eles: Benedito Costa Filho, operador da ETA de Pinheiro e Gilberto Martins, também ligado a Gerência Regional de Pinheiro. A maquete impressiona crianças e adultos não só pelo seu tamanho grandioso, mas principalmente pelo fato de apresentar vários elementos instigantes, como postes miniatura que ascendem as luzes, sistema em funcionamento como bombeamento de água, tanques de decantação, leitos filtrantes, floculadores, caixas d’agua, reservatórios e todo o necessário para demonstrar o percurso da água em tratamento até a distribuição final, quando ela chega potável às torneiras das casas.

O garoto Pedro Lucas Dutra, de apenas 12 anos, visitou o stand e se impressionou com a maquete. Ele é aluno da Unidade de Educação Básica Lima Verde, em Paço do Lumiar, e esteve na Feira do Livro acompanhado da professora e dos colegas de turma. Ele ressaltou que era maravilhoso ver e compreender o esforço e o trabalho dos técnicos e químicos que trabalham em unidades da CAEMA para levar água para milhares de pessoas. Apesar da pouca idade, com a explicação dos técnicos, foi fácil entender por que tomar alguns cuidados como fechar as torneiras ao escovar os dentes e enquanto usa o sabonete para tomar banho, são importantes e ajudam a economizar água potável valorizando o esforço destes profissionais. “Coisas que eu não sabia e que aprendi justamente aqui, vou tentar praticar lá em casa e pedir pra minha família ajudar fazendo o mesmo pra preservar a água no mundo pra que a gente possa sempre tê-la em casa”, acrescentou o menino.

Silmara Costa, estudante de 23 anos, disse que nunca tinha visto nada igual e que essa iniciativa da CAEMA é uma ótima oportunidade para despertar nas pessoas um senso de responsabilidade para que cumpram a sua parcela nesse processo a de uso racional da água potável.

“É necessário que as pessoas conheçam esse trabalho que vi aqui que não é fácil. Tem todo um processo demorado, caro e difícil de fazer, com vários estágios e monitoramento constante para tratar uma quantidade enorme de água para que a gente possa beber, matar a sede e que não deve ser desperdiçado, jogado fora ou mesmo usado de forma errada pra lavar carro e outras coisas”, avaliou a universitária.

Além da montagem de maquete, a CAEMA realizou outras atividades no stand, como a distribuição de material educativo contendo explicações sobre o trabalho que a Companhia vem desenvolvendo por meio das ações executadas a partir dos Programas Água Para Todos e Mais Saneamento, que visam garantir o acesso à água potável de qualidade, e elevar a qualidade de vida da população através do aumento do índice de esgoto tratado na Ilha, alcançando a marca de 70% de esgoto tratado em São Luís.

Outro ponto importante e que já é presença marcante na feira, foi o trabalho dos aguadeiros, que distribuem água tratada, certificada pela empresa, para matar a sede dos quase 200 mil visitantes que passeiam pelos corredores diariamente; ou mesmo, para as pessoas que trabalham nos stands organização e nas equipes de apoio.

O diretor Presidente da CAEMA, Carlos Rogério Araújo, esteve no stand juntamente com outros diretores da Companhia e reforçou que a CAEMA é umaparceira sempre pronta a colaborar no que for possível com eventos de relevância para a sociedade. “É importante que a população conheça o trabalho da maior empresa público-privada nesse ramo de abastecimento e saneamento básico em atuação no estado, cuja visão não é o lucro, mas sim, a universalidade dos seus sistemas para atender a população, e valorize essa que é na verdade um grande patrimônio do povo maranhense, já que 90% dela pertence ao estado, portanto ao povo do Maranhão”, concluiu.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account