AESBE Associação das Empresas de Saneamento Básico Estaduais


Voluntários retiram mais 26 toneladas de lixo da bacia do Rio Cascavel, no Paraná

Publicado em: 15/05/2017

Um desafio para a conservação dos recursos hídricos que está sendo promovido pela Companhia de Saneamento do Paraná  (Sanepar) em todo o Estado do Paraná mobilizou, em Cascavel, cerca de 250 pessoas na manhã da última sexta-feira (12). Elas recolheram das margens e do leito do principal manancial de abastecimento de água da cidade, o Rio Cascavel, cerca de 26 toneladas de lixo. Ação semelhante realizada no ano passado havia retirado 30 toneladas.
 
O trabalho teve a parceria da Prefeitura de Cascavel, do Corpo de Bombeiros, das equipes do Exército, de empresas que prestam serviços para a Sanepar e de voluntários do Conselho Municipal de Meio Ambiente, da Defesa Civil e do Plano de Auxílio Mútuo (PAM).
 
A gerente regional da Sanepar Rita Ivone Camana acredita que a população está entendendo a necessidade de cuidar dos rios e do meio ambiente. “No trecho percorrido nesta ação, já é possível ver a redução na quantidade de lixo. Precisamos mais. O ideal é que nada vá parar em cursos de água, nascentes ou rios”. A atividade deste ano foi estendida também para as áreas dos afluentes do Rio Cascavel.
 
Outro pelotão de trabalho formado por empregados da Sanepar e por soldados do Exército percorreu as ruas dos bairros localizados na bacia do Rio Cascavel para o trabalho de sensibilização com os moradores e empresários da região. As 30 equipes visitaram cerca de 800 imóveis. Além de material educativo, as equipes entregaram um folheto contendo o resultado do trabalho realizado no ano passado e também material que reforça a necessidade de controle do mosquito aedes aegypti. Os moradores foram chamados para colaborar com a cidade, ajudando a fiscalizar e a cuidar dos recursos hídricos.
 
Técnicos da Sanepar fizeram o mapeamento do rio em três frentes de trabalho para identificar potenciais riscos que possam comprometer o manancial, como pontos de erosão, pontos de possibilidade de inundação, carreamento de terra e lixo, despejo irregular de esgoto, ocupações irregulares. Para evitar que as situações de risco ambiental não virem um problema real, tudo o que foi levantado será encaminhado para as instituições responsáveis para que sejam tomadas medidas preventivas e até corretivas.
 
Outro grupo de trabalho atuou na continuidade do mapeamento e na identificação de potenciais poluidores, como oficinas mecânicas, postos de combustíveis, e indústrias que por sua natureza gerem esgoto não doméstico. Os técnicos vistoriaram as instalações, observando se estão adequadas, se não oferecem riscos de contaminação ambiental ou se as ligações do esgoto não doméstico estão ligadas à rede coletora sem o pré-tratamento exigido nesses casos.
 
Em paralelo, técnicos fizeram as análises da qualidade da água em diversos pontos do rio para medir a Demanda Bioquímica de Oxigênio, indicador que aponta a presença de matéria orgânica no curso da água. A meta é comparar os dados atuais com os que foram coletados na ação de junho do ano passado.
 
NA REGIÃO – Em Catanduvas, os empregados da Sanepar promoveram a limpeza nas áreas do rio Arroio Barro Preto, de onde retiraram cerca de 50 quilos de latas e garrafas. Os materiais foram separados para a reciclagem e os demais enviados ao aterro sanitário. As equipes trabalharam ainda na proteção de uma mina de água na Comunidade do Passo Liso, em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura. Em Três Barras do Paraná, foi recolhida mais de uma tonelada de lixo no Córrego Trigolândia.
 
Em Santa Lúcia, Boa Vista da Aparecida, Capitão Leônidas Marques e no distrito de Alto Alegre foram plantadas mudas de árvores nativas nas margens das captações de água e dos reservatórios.
 
Na cidade de Matelândia foram realizadas palestras nas escolas e visitas aos bares e restaurantes para explicar a importância da destinação adequada ou da reciclagem do óleo e fornecer orientações para destino correto do esgoto não doméstico. A ação teve a parceria das empresas CIM e Enob. O objetivo é evitar que os resíduos gordurosos sejam direcionados para o sistema de coleta e tratamento do esgoto. As redes podem entupir, causando transtornos para a população e para a cidade, e o processo de depuração do esgoto pode ser comprometido pela ação da gordura. Em Céu Azul, os empregados da Sanepar junto com as equipes da Secretaria de Meio Ambiente, da Tecpress e da CIM fizeram limpeza na área do Bosque Municipal. O objetivo foi o de preservar a mina de água que nasce na área. Essa mina em breve vai colaborar com o abastecimento da cidade.
 
A limpeza de uma das nascentes do Rio Rancho Mundo foi a ação escolhida pelas equipes de Corbélia. Sanepar, Prefeitura, Câmara de Vereadores, Defesa Civil, Emater e o Conselho de Desenvolvimento Rural recolheram uma tonelada de lixo em 500 metros das margens do rio.
 
Em Guaraniaçu, dez pessoas participaram da limpeza do Córrego Isolina. Em 700 metros do curso da água foram retirados 200 quilos de entulhos que foram encaminhados para a reciclagem. Nessa atividade a Sanepar também contou com a ajuda da Tecpress e da CIM.
 

Fonte: Gerência de Comunicação da Sanepar

Comentários

Comentar

 

Esqueci a senha

 
 

Empresas Associadas

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600