CASAN faz explanação sobre ETE de Garopaba à comunidade

Em mais uma rodada de esclarecimentos à comunidade de Garopaba (SC), a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (CASAN) atendeu convite da Prefeitura para detalhar o projeto de implantação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) na cidade.
A convocação, desta vez, surgiu a partir de convite da associação de engenheiros e arquitetos do município. Liderados pelo diretor de Operação e Meio Ambiente, Paulo Meller, os engenheiros Carlos Roberto Bavaresco, Patrice Barzan e Romoaldo Sandrini explicaram a engenheiros, arquitetos e a outros interessados da região que espontaneamente compareceram ao evento, quais os critérios utilizados pela Companhia para projetar a obra que vai concluir a primeira etapa de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) na cidade.
Durante cerca de duas horas e meia, na manhã da última  sexta-feira, dia 12, os técnicos da Companhia falaram sobre os corpos receptores (rio e lagoa) do efluente tratado, os cuidados com o monitoramento permanente da estação, como funciona o tratamento terciário que está previsto para Garopaba, o cronograma da obra e quais os efeitos de manter a cidade turística sem um adequado sistema de coleta e tratamento, como ocorre atualmente.
Ao final da conversa, o prefeito Sergio Cunha voltou a ressaltar que a Prefeitura e a CASAN continuarão mantendo a todos informados, colocando a estrutura municipal e a engenharia da Companhia à disposição para todos os detalhamentos técnicos que se fizerem necessários. “Encaminhem seus pedidos de esclarecimentos e de reuniões à Prefeitura, que faremos de tudo para atender com transparência e agilidade”. A principal preocupação de moradores de Garopaba é a respeito da capacidade do Rio Linhares e da Lagoa Encantada de receberem o efluente tratado.
Estação proposta é modelo para SC
A CASAN entende a preocupação e considera muito importante esclarecer, permanentemente, todas as dúvidas existentes, já que existe uma grande dificuldade de entendimento com relação aos efeitos de um sistema de esgotamento sanitário. Mas é importante ressaltar que a cidade de Garopaba, a balneabilidade de suas praias e a Lagoa de Garopaba terão seu ambiente muito mais ameaçado sem um adequado sistema de esgotamento sanitário.
O sistema proposto para Garopaba traz o que há de mais avançado em termos de tecnologia de saneamento no mundo, comprovadamente eficiente sob o ponto de vista ambiental. É uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) modelo Terciário, ainda não implantado em Santa Catarina. Além de depurar a carga orgânica presente no esgoto doméstico, o processo do modelo terciário retira nitrogênio e fósforo que, em excesso, comprometem os ambientes aquáticos. E vai devolver à natureza um efluente tratado (não vai devolver esgoto, mas efluente tratado). A estação reduzirá os riscos de eutrofização (processo provocado exatamente pelo excesso de nutrientes).
A construção dessa unidade foi a alternativa avaliada como a mais viável do ponto de vista ambiental, econômico e em relação ao tempo de implantação em curto e médio prazo. Porém, prevendo o desenvolvimento do município, a CASAN não exclui outras possibilidades no futuro, desde que estas alternativas constem das metas do Plano Municipal de Saneamento.
É importante lembrar a relevância da construção da unidade de tratamento, pois como aconteceu em outros municípios onde a rede foi implantada antes podem ocorrer ligações do esgoto a essa rede por parte dos moradores – mesmo ainda sem autorização da CASAN -, provocando extravasamentos e comprometendo a qualidade de vida na cidade. Quase 80% da rede já foi implantada e nas próximas semanas deve ser lançado o edital da ETE.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Casan

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account