Abes divulga Ranking da Universalização do Saneamento

Assessoria de Comunicação da Abes

29/03/2019

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) realizou, nessa quinta, 28 de março, o II Simpósio Ranking ABES da Universalização do Saneamento. O evento, que lotou o auditório do CRQ (Conselho Regional de Química), em São Paulo, contou com a apresentação de estudo sobre a influência do saneamento na saúde de moradores de áreas de alta vulnerabilidade e premiou as cidades que apresentaram os melhores indicadores na edição 2018 do Ranking (acesse aqui o estudo). O simpósio foi transmitido ao vivo e pode ser visto AQUI. Acesse aqui o álbum de fotos.

Presidente da Abes, Roberval Tavares

O presidente nacional da ABES, Roberval Tavares de Souza, abriu o evento lembrando da importância da Câmara Temática de Comunicação no Saneamento da entidade, responsável pelo Ranking, que é coordenada por Dante Ragazzi Pauli e que segundo ele tem “o desafio de promover o debate do saneamento levando o destaque da universalização pelo Brasil inteiro”.

Coordenando o debate, Dante apresentou o Ranking ABES da Universalização do Saneamento – edição 2018, que avalia a situação do saneamento em relação à universalização no Brasil por meio de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta e destinação de resíduos sólidos.

Entre outros pontos, Dante também destacou a importância da comunicação no setor. “A comunicação é tudo em todas as relações sociais e com a sociedade. Precisamos de parcerias e os jornalistas são fundamentais para a população entender melhor a questão do saneamento”, disse, lembrando que a ABES, em parceria com a AESBE, está promovendo um curso online gratuito para jornalistas (saiba mais aqui).

Juliana Dutra, diretora da Deep – Desenvolvimento e Envolvimento Estratégicos de Pessoas e Clientes e coordenadora adjunta da Câmara Temática da ABES de Prestação de Serviços e Relacionamento com Clientes, apresentou o estudo “A qualidade do Saneamento Ambiental como fator de desenvolvimento social: saúde”.

Sérgio Valentim, diretor da Divisão de Meio Ambiente do Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo, falou sobre saneamento e saúde. Ele parabenizou a ABES pela iniciativa. “É importante que tenhamos instituições que coloquem questões controversas para debatemos e termos um entendimento para a melhoria da qualidade de vida das pessoas”.

Premiação das cidades-destaque

Durante o evento, os 29 municípios de grande porte e 10 de pequeno e médio portes do grupo “Rumo à universalização” foram reconhecidos pela ABES em uma cerimônia de premiação. São eles:

Grande porte: São Caetano do Sul SP – Piracicaba SP – Curitiba PR – Poá SP – Santos SP – Cascavel PR – Maringá PR – Leme SP – Franca SP – Pindamonhangaba SP – Sertãozinho SP – Catanduva SP – Ribeirão Preto SP – Londrina PR – Birigui SP – Taubaté SP – São José dos Campos SP – Cambé PR – Salto SP – Araçatuba SP – Jundiaí SP – Niterói RJ – Botucatu SP – São Carlos SP – Araraquara SP – Limeira SP – Sorocaba SP – Uberlândia MG – Pinhais PR

Pequeno e médio portes: Santa Fé do Sul SP – Uchoa SP – Guaíra SP – Votuporanga SP – Guariba SP – Guarantã SP – Barbosa SP – Buritama SP – Santa Ernestina SP – Lins SP.

Representantes das cidades reconhecidas comentaram a premiação:

“É importante que a ABES faça esse evento e divulgue para estimular as prefeituras e os serviços autônomos a investirem no saneamento básico. Nós, prefeitos, agradecemos essa iniciativa e ficamos na torcida para a divulgação do ranking nos próximos anos”. Barjas Negri, prefeito de Piracicaba/SP

“Quero cumprimentar a ABES. Fico feliz com esse tipo de evento: premiação. O ranking nos estimula e a nossa cidade já é referência na universalização do saneamento. No saneamento, temos 300%, temos 100% de água e 100% de esgoto tratado e coletado. Temos que manter e estar sempre em busca do horizonte. A premiação estimula a buscar ainda mais os mecanismos para alcançar a universalização e garantir saúde e qualidade de vida para a população”. Edgar de Souza, prefeito de Lins/SP.

“A premiação é uma forma de incentivo para investirmos cada vez mais no saneamento básico para melhoria na infraestrutura e saúde humana e qualidade de vida. Temos compromisso com a sustentabilidade, a preservação dos recursos naturais e dos mananciais de captação. Vamos atingir em abril, 100de água tratada e 100% de esgoto coletado e tratado. Universalizando o saneamento da nossa cidade. Outro dado importante é que fechamos o ano de 2018 com índice de mortalidade infantil de 8,6 óbitos a cada mil crianças nascidas vivas é o menor índice histórico em 25 anos. O que faz com que o nosso departamento de água e esgoto que é uma autarquia local há 50 anos se encha de orgulho. Agradecemos à Superintendência, por meio do Afonso Reis Duarte, a Diretoria Técnica, por meio do Lineu e todos os servidores do nosso DAERP”. Duarte Nogueira, prefeito de Ribeirão Preto/SP.

“O prêmio é muito importante para a cidade de Poá. É o resultado do nosso trabalho no saneamento básico. O investimento é muito importante para a melhoria da qualidade de vida e na saúde da população poanse”. Gian Lopes, prefeito de Poá/SP.

“O prêmio é de extrema importância para o município, mostrando todo o desempenho e o desenvolvimento da cidade que tem aplicado em recursos e ações, em parceria com a SABESP, buscando a melhoria do saneamento básico da cidade. É importante para a população, ao meio ambiente e ao urbanismo de Taubaté”. Alexandre Magno Borges, secretário de Serviços Públicos da Prefeitura de Taubaté/SP, representou o prefeito José Bernardo Ortiz Monteiro Junior.

“É muito importante que os municípios estejam empenhados na melhoria da qualidade do saneamento para a sua população. Para que sejam reconhecidos e estimulados, melhorem e avancem cada vez mais nesse desafio que é trabalhar a questão do saneamento. Foi excepcional, um trabalho maravilhoso. Isso vai se tornar uma rotina da ABES. Quero parabenizar a diretoria e a todos pelo evento”. Ibson Gabriel Martins de Campos, diretor do Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento, representante do município de Curitiba/PR.

“Estou representando o prefeito de Araçatuba. É com muito orgulho e satisfação que recebemos este prêmio e reconhecimento. Optamos pela universalização e pela concessão do serviço pleno do saneamento do nosso município e isso tem revertido nos índices que chegaram para essa premiação.” Márcio Saito, Comissário Geral da Agência Reguladora DAEA de Araçatuba. Representou o prefeito Dilador Borges.

“Nossa cidade foi a primeira a ter concessão de água no Brasil. Alcançamos a excelência baseados na concessão e no trabalho que a cidade vem desenvolvendo ao longo dos anos. Frente à questão de saneamento, temos 100% do esgoto, coleta e tratamento e 100% da água tratada pela cidade distribuída. O que faz com que recebemos esse prêmio maravilhoso aqui hoje”. Armando Geraldo Cecato, diretor do Departamento de Saneamento e Drenagem da Secretaria de Obras e Serviços de Limeira/SP. Representou o prefeito Mário Botion.

“É uma satisfação estar aqui neste evento. É importante tentar mudar a cultura da população e mostrar que é uma responsabilidade de todos nós. Estamos felizes e parabéns à ABES pela iniciativa”. Alberto Expedito Paiotti, diretor do Departamento de Concessionárias, responsável pela manutenção e desenvolvimento de projetos para a área de saneamento de São José dos Campos/SP. Representou o prefeito Felício Ramuth.

“Fico muito orgulhosa de representar o nosso prefeito e a cidade de Niterói. Temos um grande desafio, estamos com 494 pontos e faltam 6 para alcançarmos a pontuação máxima do prêmio. Estamos há dois anos nessa meta. É muito importante o investimento, pois a cada um real investido no saneamento economizamos sete em saúde. Buscamos a universalização do saneamento”. Dayse Monosso, secretária de Conservação e Serviços Públicos de Niterói/RJ. Representou o prefeito Paulo Roberto Mattos Bogueira Leal.

“A premiação é muito importante pelo peso que tem a ABES com relação ao saneamento nacional. A Sanepar tem vários profissionais que integram a ABES Paraná. A universalização é um desafio para o país. Para afastar alguns problemas sociais que decorrem da ausência de saneamento básico, como saúde pública, questões ambientais e força de trabalho, o evento é muito importante tanto pela manhã quanto pela tarde, com a premiação e a discussão da MP 868, que tem requisitos que podem prejudicar o saneamento e a quebra do subsídio cruzado. Participo também pela AESBE. Estamos lado a lado com associações como a ABAR e Associações dos Municípios para tentar discutir as questões jurídicas dessa medida provisória e melhorar a redação dela Para termos uma evolução no saneamento e não um retrocesso”. Marcus Venicio Cavassin, gerente jurídico da SANEPAR. Representou os municípios de Londrina/PR, Cambé/PR, Maringá/PR e Pinhais/PR.

“É um evento extremamente importante. Estou aqui pela primeira vez representando o município de Pindamonhangaba. A prefeitura está com foco em saneamento e nossas ações estão direcionadas para isso. Nada mais justo do que a ABES fazer um evento desse porte trazendo vários municípios do Brasil para poder reconhecer o nosso trabalho e serviço”. Maria Eduarda San Martin – Secretária do Meio Ambiente de Pindamonhangaba/SP.

“O importante é que nossa cidade tem 100% de água tratada e 100% de [coleta] esgoto. Estamos trabalhando para desenvolvimento de Franca, que tem 400 mil habitantes. O prefeito Gilson de Souza tem um projeto para o Fórum de 2040, projetando que daqui 20 anos esse prêmio esteja sempre chegando a nossa cidade”. Adriano Rodrigues Moreira, secretário de Serviços e Meio Ambiente de Franca/SP, que representou o prefeito Gilson de Souza.

“Quero parabenizar a ABES pelo evento. O ranking dos municípios é muito importante para o desenvolvimento do saneamento do nosso país. Represento o município de Botucatu, que tem 140 mil habitantes. Temos 100% de abastecimento de água e quase 100% de coleta e tratamento de esgoto, inclusive, nos bairros mais afastados e em zona rural. Conseguimos uma solução para destinar corretamente o lodo que é gerado na estação de tratamento de esgoto pode ser utilizado como fertilizante orgânico e está registrado no Ministério da Agricultura. Tivemos muitos avanços nesses últimos anos. Parabenizo o município e o evento. Estou agradecido pela participação”. Maurício Tápia, Superintendente da Unidade de Negócio Médio Tietê da Sabesp em Botucatu. Representou o prefeito Mário Pardini.

“Pra nós é uma gratificação poder ver que o nosso trabalho foi reconhecido. Que estamos no caminho certo para a universalização do saneamento. Vamos continuar nessa luta para sempre melhorar”. Rodolfo Martins Felici, diretor do Departamento de Meio Ambiente e Rodolfo Dias Marco, assessor da Secretaria de Desenvolvimento e Políticas Públicas de Uchoa/SP. Representantes do prefeito Pinheiro de Carvalho.

“A premiação da ABES é bacana, pois estimula as administrações públicas a correrem atrás de investimentos, destinar mais recurso municipal no setor. O investimento em saneamento significa melhoria da saúde pública e qualidade de vida para a população.” Engenheiros Alaor Borges Pinheiro Neto, Gaspar Junqueira Dias Lelis e José Emydio de Oliveira Neto, de Guaíra/SP. Representantes do prefeito Eduardo Coscrato.

O Ranking

O estudo analisa as condições do saneamento em relação à universalização nas cidades brasileiras de grande, médio e pequeno portes e, em função da intrínseca relação entre saneamento e saúde, correlaciona os resultados às DRSAI – Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado de cada município.

Compõem o estudo quase 2 mil municípios cujos dados foram fornecidos ao SNIS2 – Sistema Nacional de Informações de Saneamento, o que representa 34% dos municípios do Brasil e 67% da população do país. Os dados de saúde foram obtidos do DATASUS 3 do Ministério da Saúde.

O Ranking avalia a situação do saneamento em relação à universalização no Brasil por meio de indicadores de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta e destinação de resíduos sólidos. O estudo analisa as condições do saneamento em relação à universalização nas cidades brasileiras e, em função da intrínseca relação entre saneamento e saúde, correlaciona os resultados às DRSAI – Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado de cada município.

Na edição de 2018, de acordo com seus indicadores, os municípios foram reunidos em quatro grupos:

– Rumo à universalização (pontuação acima de 489)

– Compromisso com a universalização (de 450 a 489)

– Empenho para a universalização (de 200 a 449,99)

– Primeiros passos para a universalização (abaixo de 200)

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account